Jornal Correio Popular Notícia



MUNDIAL DE CLUBES
Jornal chama Fluminense de time de aposentados

Data da notícia: 2023-12-21 10:27:00
Foto: Assessoria/Divulgação
Texto criticou a idade avançada de jogadores como Felipe Melo, Marcelo e o goleiro Fábio

O jornal britânico “The Telegraph” publicou um texto opinativo que afirma que a escalação do Fluminense, adversário do Manchester City na final do Mundial de Clubes, seria mais adequada ao Soccer Aid, torneio beneficente protagonizado por ex-jogadores de futebol.

“Em sua primeira final de Mundial de Clubes, o Manchester City enfrenta um adversário improvável ao título: um time brasileiro com sete veteranos do futebol”, disse o texto publicado no The Telegraph.

A publicação enfatiza a presença de jogadores veteranos, como Marcelo, de 35 anos, Felipe Melo, de 40 anos e o goleiro Fabio, de 43. Atletas como Samuel Xavier, Ganso, Keno e Cano, todo acima dos 33 anos, também são citados.

O texto, assinado pelo jornalista Sam Wallace, compara o estilo de jogo de Fernando Diniz com o de Pep Guardiola. Apesar disso, põe em dúvida se a estratégia do técnico do Fluminense será a mesma na decisão contra o time inglês.

“O Fluminense, de Fernando Diniz, que tem abordagem baseada na posse de bola de Pep Guardiola, precisa agora decidir se seguirá esta crença na final, contra o time mais formidável do futebol mundial”.

Fluminense e Manchester City disputam a final do Mundial de Clubes na próxima sexta-feira, às 15h (de Brasília). A partida, que será realizada no King Abdullah, em Jedá, na Arábia Saudita, terá transmissão ao vivo da TV Globo.

No Brasil, o Fluminense também foi criticado. O estilo de jogo adotado pelo técnico Fernando Diniz, do Fluminense e da seleção brasileira, recebeu elogios do treinador do Manchester City, Pep Guardiola, rival do clube carioca na final do Mundial de Clubes na próxima sexta-feira. Mas está longe de ser unanimidade. Entre os que não o aprovam está o técnico do Grêmio, Renato Gaúcho.

Renato disse que o Dinizismo é arriscado e o qualificou como uma “roleta-russa”.

“Cada treinador tem sua cabeça, tem os seus pensamentos, suas ideias. Ele tem um estilo de jogo que é bonito, mas em primeiro lugar você tem de ter os jogadores para fazer isso. É um estilo dele, e isso é uma qualidade dele. É bonito, mas é arriscado.

Fonte: Globo Esporte

Notícia vista 11094 vezes


Compartilhe com seus amigos:
 




www.correiopopular.com.br
é uma publicação pertencente à EMPRESA JORNALÍSTICA CP DE RONDÔNIA LTDA
2016 - Todos os direitos reservados
Contatos: redacao@correiopopular.net - comercial@correiopopular.com.br - cpredacao@uol.com.br
Telefone: 69-3421-6853.