Jornal Correio Popular


ALAGAMENTO
Famílias ribeirinhas começam a sair de casa

Data da notícia: 2020-03-03 18:24:52
Foto: Assessoria/Divulgação
Os bairros Urupá, Primavera, São Francisco, Duque de Caxias e Novo Urupá e o setor chacareiro são os pontos mais afetados pela cheia

Famílias ribeirinhas começaram a deixar suas casas, forçadas pelas enchentes dos rios Machado e Urupá. Segundo a Defesa Civil de Ji-Paraná, a cheia provocou pontos de alagamentos em dez bairros do município e também no setor chacareiro. Segundo a medição realizada pela Agência Nacional das Águas (ANA), o nível do rio Machado estava em 10,68 metros de profundidade, nesta terça-feira (3), pouco mais de 30 centímetros abaixo do estado crítico.

A coordenadora da Defesa Civil, Meire Zanettin, destacou que não é possível determinar quantas famílias deixaram as casas, pois os moradores se alojam em residências de familiares e não comunicam ao órgão. Até o momento, nenhum morador precisou ser resgatado pela Defesa Civil ou Corpo de Bombeiros.

Os bairros Urupá, Primavera, São Francisco, Duque de Caxias e Novo Urupá e o setor chacareiro são os pontos mais afetados pela cheia.
Meire Zanettin, também orientou que é importante ter cuidado com a presença de animais peçonhentos.

“Assim como as pessoas, os animais peçonhentos também não querem ficar dentro da água. Então, o ponto mais seco, que eles vão encontrar é a casa das pessoas. Nesse período, existe o risco de aparecimento de serpentes, aranhas e outros animais a procura de abrigo nas casas”, alertou à coordenadora.
Na segunda-feira (2), um trecho da Linha 207, na zona rural de Ji-Paraná, desmoronou devido às fortes chuvas que atingiram a região no fim de semana. Com a pista destruída, o tráfego de veículos foi interrompido, dificultando o transporte de estudantes e o escoamento de produtos agrícolas.

A Prefeitura de Ji-Paraná disse que no local do desbarrancamento está sendo construído um bueiro e que a chuva levou a terra, pois a obra ainda não estava pronta. A prefeitura ressaltou que os trabalhos serão retomados e que a estrada deve ser liberada até quinta-feira (5).

Resgates em 2019
Em janeiro de 2019, seis famílias precisaram ser resgatadas após o rio Machado atingir a marca de 11,04 metros de profundidade.


Fonte: Marco Bernardi


Compartilhe com seus amigos:
 




www.correiopopular.com.br
é uma publicação pertencente à EMPRESA JORNALÍSTICA CP DE RONDÔNIA LTDA
2016 - Todos os direitos reservados
Contatos: redacao@correiopopular.net - comercial@correiopopular.com.br - cpredacao@uol.com.br
Telefone: 69-3421-6853.