Jornal Correio Popular




JI-PARANÁ
Expedição universitária visita florestas plantadas e restauração de nascentes

Data da notícia: 2019-07-22 18:08:45
Foto: Assessoria/Divulgação
Expedição Florestal Brasil Norte-Sul visitou Ji-Paraná, nesta semana, depois seguiu para as cidades de Rio Branco e Xapuri, no Acre

Composta por acadêmicos de oito universidades, a Expedição Florestal Brasil Norte-Sul fez visitação programada, no domingo (21), na vitrine do Centro Tecnológico Vandeci Rack, em Ji-Paraná. A expedição já passou pela Argentina, segue para Rio Branco e Xapuri, no Acre, e encerra no fim de julho em Cusco, no Peru. Na aula prática, os estudantes aprenderam mais sobre floresta plantada e recuperação de nascentes.
Capitaneada pelo professor Renato Robert, da Universidade Federal do Paraná (UFPR), a expedição florestal tem como objetivo o intercâmbio de conhecimentos. “É uma oportunidade deles [os estudantes] conhecerem a realidade sobre florestas em diferentes pontos do país e do exterior”, destacou. Ele enfatizando “que o sistema florestal com fins comerciais é importante, sustentável e lucrativo”.
Cursando o 10º período, o acadêmico Rafael Grazeke, da UFPR, avaliou a visita como positiva. “A parada em Ji-Paraná foi conclusiva sobre o setor florestal brasileiro”, avaliou Grazeke, que defende mais incentivos governamentais para aplicação em áreas degradadas para recuperação e nascentes. “O produtor rural também precisa se conscientizar mais, pois sem água na propriedade a produtividade cai. A floresta depende da água”, opinou o paranaense.
Na vitrine tecnológica, os estudantes tiveram acesso ao conhecimento sobre várias espécies florestais nativas e exóticas com fins comerciais, bem como a recuperação de nascentes a partir de uma área antes degradada, restaurada pelo consultor florestal Adilson Pepino, do Projeto Beija-Flor. “A floresta plantada é a lavoura do futuro”, sintetizou o consultor, que, em seguida, explicou aos acadêmicos “os mecanismos utilizados para reconhecer em área degradada o local exato do lençol freático para recuperar o olho d’água”.
E mais, das universidades Estadual de São Paulo (Unesp), Estadual do Centro Oeste do Paraná (Unicentro) e a Estadual de Santa Catarina (UDESC). “A troca de experiência é muito positiva devido à variedade de espécies florestais”, afirmou a professora Andreza Mendonça, do Instituto Federal de Rondônia (Ifro), ao recepcionar os acadêmicos em Ji-Paraná.

Fonte: Assessoria

Notícia vista 18 vezes


Compartilhe com seus amigos:
 




www.correiopopular.com.br
é uma publicação pertencente à EMPRESA JORNALÍSTICA CP DE RONDÔNIA LTDA
2016 - Todos os direitos reservados
Contatos: redacao@correiopopular.net - comercial@correiopopular.com.br - cpredacao@uol.com.br
Telefone: 69-3421-6853.