Jornal Correio Popular




PERIGO
Alerta para risco de acidentes com animais peçonhentos

Data da notícia: 2017-11-06 11:22:13
Foto: Divulgação
Incidentes com animais peçonhentos devem ser encaminhado ao Cemetron

Com a chegada do período chuvoso aumenta a proliferação e o aparecimento de animais peçonhentos, como escorpiões, serpentes e aranhas, em lugares inesperados da área urbana e às margens de igarapés ou córregos.
As dicas de segurança do Corpo de Bombeiros Militar para a população se prevenir desses animais são principalmente os cuidados com a limpeza dos quintais e terrenos baldios e evitar ficar próximo a rios e igarapés.
Nesta época do ano, os animais peçonhentos saem do seu habit à procura de novos abrigos e os ambientes mais propícios dos escorpiões e aranhas são os quintais ou terrenos que acumulam entulhos de madeira e tijolo. O ideal, conforme explicou o cabo Lemos, do 1º Sub-Grupamento de Busca e Salvamento Independente, é manter os locais limpos e livres de entulhos.
“Pessoas que vão limpar os quintais e terrenos baldios devem usar o EPI (Equipamento de Proteção Individual) completo, botas, luvas e mascaras e ter cuidados redobrados na retirada de entulhos”, recomenda o Corpo de Bombeiros.
Com as serpentes, os cuidados são principalmente próximos aos rios e igarapés, mas também os terrenos baldios que acumulam muitas sujeiras. “Nunca deixar as crianças brincarem sozinhas nesses locais”, alertou o cabo Lemos, acrescentando que todas as vítimas dos animais peçonhentos devem observar no mínimo as características deles para facilitar o procedimento no hospital.
Em caso de incidência de acidentes com esses animais, as pessoas devem ligar para os números: 190, 192 ou 193 e acionar a Polícia Ambiental, Corpo de Bombeiros ou o SAMU. A triagem de qual órgão vai atender à ocorrência é feita pelo Ciop (Centro Integrado de Operações).
Em todos os casos, as pessoas serão encaminhadas ao Centro de Medicina Tropical de Rondônia (Cemetron) e os animais encaminhados ao Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama).
Um fator importante relacionado às vítimas de picada por esses animais é que até a chegada do socorro as pessoas devem manter a calma, lavar o local com água e sabão, se foi picada nos braços ou pernas, ficar deitada com os braços ou pernas acima da linha do tórax.
O que não deve fazer de maneira nenhuma são as seguintes orientações: não chupar o local da picada, não fazer torniquetes, que é conhecido por garrote que prender a circulação com uma tira de pano, não ficar nervosa e não colocar produtos como a borra de café ou creme dental. “Tudo isso só vai gravar a situação de quem foi picado”, reforçou.
O bombeiro citou dois venenos das serpentes e seus respectivos efeitos no corpo humano: hemotóxicos, que causa disfunção de alguns órgãos e quanto mais rápido o atendimento, mais rápido será a recuperação da vítima; o neurotóxicos, que afeta o sistema nervoso, causando vômitos e inicialmente paralisia dos músculos faciais.

Fonte: Assessoria

Notícia vista 1110 vezes


Compartilhe com seus amigos:
 




www.correiopopular.com.br
é uma publicação pertencente à EMPRESA JORNALÍSTICA CP DE RONDÔNIA LTDA
2016 - Todos os direitos reservados
Contatos: redacao@correiopopular.net - comercial@correiopopular.com.br - cpredacao@uol.com.br
Telefone: 69-3421-6853.